sábado, dezembro 20, 2008


Vanity Fair

1
Publicado em 06/07/2008

Hoje vou escrever sobre um assunto de importância nacional: uma Ferrari estacionada em frente a um prédio, e, por coincidência, extremamente visível de minha janela.

Muito bem. Logo que acordei, como de costume, fui dar uma olhada na praia. De repente, um vermelho brilhante, nada discreto, atraiu minha atenção. Lá estava ela, reluzente à luz do sol matinal. Não pode ser! Será? Peguei o binóculos, e logo avistei "O" símbolo: amarelo com seu cavalo negro ao meio. Não restava dúvidas…
No prédio vizinho, todos corriam a janela pra avistar a novidade. Convenhamos que não é todo dia que se dá de cara com uma Ferrari estacionada na porta de casa. Saía um, voltavam três. Ninguém queria perder o espetáculo do dia.
Já começava a imaginar rodinhas se formando ao redor da máquina. Felizmente, todos foram sensatos o bastante para não fazê-lo. Thanks God! Em minha opinião, não há nada pior que isso. Realizarmos o desejo de "aparecer" do dono do ilustre carro (reparem, carro ilustre, e não, dono ilustre!).
Meia hora mais tarde, já esquecida do episódio, e estudando pra minha prova de Processo Civil, ouço um ronco de motor. Está tendo F1 na televisão hoje??? Logo, lembro: é a Ferrari. E lá passa ela, em frente a minha janela, fazendo o máximo de barulho necessário para seu dono (detalhe: sem camisa) pudesse passar sem ser desapercebido.
Viva a Ferrari, e viva a Feira das Vaidades!

1 comments:

Ricardo disse...

O segredo é não fazer aquilo que o exibido espera, que é que todos fiquem admirando suas riquezas… ótimo post, Gretinha. Beijos!

Postar um comentário

A opinião de vocês é muito importante pra melhoria do nosso espacinho! Sugestões, críticas (construtivas), tudo é super bem vindo!!! Tá esperando o que?!? Comenta vai!!! ;***