domingo, dezembro 21, 2008


Saldo de um fim de semana atribulado

1
Publicado em 14/10/2008

Tudo que eu precisava pra começar uma boa semana. Uma garganta que dói (sendo que doer nesse caso é um eufemismo), meu corpo que parece que levei uma surra, e um texto no blog que parece meu teste de francês sobre a unidade de doenças. Dá vontade de gritar, mas nem isso eu consigo com a bendita garganta. Últimas notícias: pra fechar com chave de ouro, febre de 38º. De fato, um ótimo começo de semana. É o preço de se ter abusado (???) no fim de semana.

Sexta, carnaval fora de época. E nem dizer que fui lá no meio do povão. Que nada. Fui num camarote, tido como VIP, que não serviam nada que prestava, DJ e música sertaneja alta que não permitiam que se ouvisse os blocos que passavam na avenida (razão principal de estar todo mundo lá, será que não perceberam???), e os blocos que passavam como um raio em frente ao camarote. Imaginem se não fosse "VIP". Mas, tudo bem. Às 3 da matina já estava de volta pra casa, pronta para dormir menos de 5 horas e ir para a aula de francês.

Na aula, mais uma novidade. Iríamos a Feira do Livro, que está acontecendo na cidade. Tudo muito lindo, e o calor aumentando, aumentando… hora de entrar, assistir palestra em francês no auditório dedicado à Aliança Francesa, ar condicionado no máximo. Saída: chuva. Chuva nessa época do ano??? Com um calor dos infernos que estava fazendo, não podia dar outra. Corre na chuva até o carro. Ar condicionado novamente.

Não contente com todas as extravagâncias, no domingo ensolarado resolvi dar banho nas minhas cachorras. Pega a primeira, faz com que ela se acalme, molha, ensaboa, a água resolve faltar… "Nunca falta, por que logo hoje???" Passo meses sem banhar as pobres das cachorras e no dia que crio coragem de praticar o ato solidário, falta água??? É muito azar. Ou melhor, sorte delas que não estavam nem um pouco a fim de banhar. Pega água da piscina (o lugar mais próximo com água disponível!). A cachorra não pode ficar cheia de sabão. Carrega de um lado pra outro, dá um jeito na costa, Jade escapa (Jade é a cachorra!), corre atrás, lava, pega a toalha, desiste de enxugar (não consegui convencê-la de que a toalha não era um brinquedo novo)… E por aí vai. Agora mesmo que vou pensar 2 (3 ou 5) vezes antes de resolver banhá-las de novo.

Conclusão de meu molhado fim de semana: essa dor de garganta infernal, uma dor nas costas tão grande quanto e minha cama, de onde eu não saio por nada desse mundo.

Pelo menos amanhã não vai ter aula. Tem dia dos professores em Universidade? Não sei. Mas já dissemos pro prof. que ele não precisava ir. Como se precisasse dizer isso na nossa querida federal. But, anyway…

That’s it. Espero acordar melhor amanhã…

1 comments:

Juliana Pires disse...

Eu já fiquei resfriada várias vezes por causa de ar condicionado, geralmente quando vou no banco o ar condicionado está sempre no máximo. Dor de garganta é o pior né! Eu também passo meses sem dar banho no meu cachorro e é uma sacrifício banhar ele porque ele não pára quieto e só quer ficar brincando (rs)..

Beijos!
http://www.falajuliana.blogspot.com

Postar um comentário

A opinião de vocês é muito importante pra melhoria do nosso espacinho! Sugestões, críticas (construtivas), tudo é super bem vindo!!! Tá esperando o que?!? Comenta vai!!! ;***