terça-feira, outubro 05, 2010


Comer Rezar Amar

4

Ontem foi dia de cinema e o filme da vez não podia ser outro: o tão falado Comer Rezar Amar, adaptação do bestseller homônimo às telonas, que traz nada mais nada menos que Julia Roberts (amo!) e Javier Bardem no elenco. O longa tem 2 horas e 20 min de duração e pode ser dividido, digamos, em 4 partes: o antes, o comer, o rezar e o amar.

Depois de uma visita a Bali, onde teve previsões de um xamã que iriam mudar sua vida, insatisfeita após seu divórcio e cansada de pular de um relacionamento a outro ("desde meus 15 anos ou eu estou namorando com um cara ou terminando com um cara. Nunca dediquei nem uma semana sequer pra ficar sozinha comigo mesma" =D), Liz decide tirar 1 ano off para redescobrir seus prazeres perdidos.

Assim, a primeira parada não poderia ser outra: COMER = ITÁLIA, bien sûr! Essa foi a minha parte preferida do filme, não só pelos spaghettis e pizzas maravilhosos e por poder rever Roma, mas também pelo caráter de diário de bordo que essa parte apresenta, contando suas impressões a respeito do país, da língua, das amizades que fez, além de comparar a cultura e modo de pensar e agir americano em relação ao italiano. Dentre muitas coisas, é apresentada uma teoria sociológica de que o americano (estadunidense) de modo geral, não se permite o lazer tão facilmente como outros povos, embora ironicamente vivam no país que mais produz diversão no mundo.

Meses depois e alguns quilinhos a mais (11 kg pra ser mais exata!), hora de partir pro próximo verbo: REZAR = ÍNDIA. Logicamente, essa é a parte espiritual do filme, onde ela passa o tempo todo num Ashram (um lugar de meditação) rezando e praticando yoga. A monotonia só é esquecida graças ao Richard (Richard Jenkins), um texano que implica com o seu jeito, até que se torna seu amigo e uma espécie de mestre, que tenta mostrar como é possível cicatrizar as feridas da vida (ele mesmo com vários problemas familiares ocasionados por drogas e álcool) e a uma menina indiana (esqueci o nome... #fail), com seus conflitos, já tão mostrados em "Caminho das Índias", que incluíam um casamento arranjado (cuja festa é, inclusive, mostrada, com toda a sua pompa e cores) e um sonho de estudar psicologia na universidade.

Ao se sentir mais equilibrada emocionalmente, Liz decide voltar a Bali e se reencontrar com seu xamã (fofo!), dando início a última parte do filme/livro: AMAR = INDONÉSIA. Permeado ainda de muita meditação e ensinamentos, ela se vê redescobrindo o amor na pessoa de um brasileiro (tinha que ser né?!), Felipe, divorciado e, como ela, cheio de medo de amar de novo e sofrer em razão desse amor. Destaque para as músicas brasileiras que compõem a trilha sonora do filme nessa parte, como o “Samba da Benção”, aquele que diz que “é melhor ser alegre que ser triste” e "Wave". Engraçado que quando termina o verso "é impossível ser feliz sozinho", o Javier Bardem (Felipe), solta, coincidentemente, um "POR QUE?"! =D

Enfim, talvez porque o filme seja em primeira pessoa, com Liz contando as suas próprias experiências na passagem por essas três diferentes culturas, e suas reações a cada uma delas, vemos que o filme não se trata de um manual de auto-ajuda (como eu pensava ser). Ela mesma refuta seguir à risca os ensinamentos hindus quando passa pela Índia, por exemplo. Como se mostrasse que, mesmo as religiões não são – ou não deveriam ser – dogmas impostos, mas sugestões de comportamento.

Super recomendo! ;-)

4 comments:

Eu, ΞĐU disse...

Oi, Greta...
Muuito bom o seu blog, suas idéias e seu bom gosto. Parabéns pelo trabalho.
Estou te seguindo.
Beijos no coração,
EDU (http://edurjedu.blogspot.com)
Orkut http://www.orkut.com.br/Main#Profile?rl=mp&uid=4691439143998052531

[Paulo­­ϟArthur] disse...

ah tô doido pra assistir esse filme, deve ser ótimo.


parabéns pelo blog. Muito maneiro

Matheus Martins disse...

Para mim esse tipo de filme é para um casalzinho de feriado...Mais parece ser meio legalzinho a idéia dela ir pegar a parte mais seilá zem e "rezar" e o paladar em outro lugar para amar iuhasiuah
abraços!

Daiane Araujo de Lemos disse...

Olá! Eu já estava louca pra assistir esse filme, agora então, depois de ler teu relato, fiquei mais motivada... Deve ser ótimo..
Parabéns pelo blogggg!

Postar um comentário

A opinião de vocês é muito importante pra melhoria do nosso espacinho! Sugestões, críticas (construtivas), tudo é super bem vindo!!! Tá esperando o que?!? Comenta vai!!! ;***